O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

8.3.03  

MAS SOU EU 2





Não estou habituado à isso, escrever sobre mim mesmo, eu mesmo escrevendo. Não estou habituado nem a esse nome, Francisco, que me deram e eu não sei se sou eu. Me acostumei a ouví-lo, mas é estranho que as pessoas se refiram à mim, chamem por mim, quando dizem isso, Francisco. Até acho um nome bonito, mas não me sinto Francisco – e nem nome algum. Oh, é claro, as pessoas precisam me chamar por algum nome. Precisam? Me chamar? E como é isso, uma pessoa que para sí não tem nome? No decorrer da minha vida comecei até a achar certa graça em ser chamado de Francisco, tem um certa graça pensar: “Ah, então eu sou o Francisco. Para eles, o Francisco.” E quando chego, falam: – Chegou o Francisco. Entretanto quem chegou fui eu, não um “Francisco” ou sequer algo que possa ser apenas uma palavra, ainda que bonita, visto que é uma quantidade enorme de coisas e pessoas, esse eu. Como é restritivo, o nome. Mas, tudo bem, entendo que eu, quando chego, tenho que ter um nome, meu corpo e minha cara têm que ter um nome para que possam reagir quando outro corpo, com a sua cara, se dirigir a mim; só eu é que não posso usá-lo para tratar comigo mesmo, para chamar meu eu. Deve até mesmo haver um Francisco na multidão de eus que eu tenho para mim; mas um só, ao passo que, os outros eus, que vivem fora de mim e que não são eu, mas o que os outros entendem de mim – e, já discutimos isso, são tantos quantos as pessoas que conheço, posto que cada pessoa tem a sua própria versão de mim e de todo mundo –, se chamam todos Francisco.


posted by franciscoslade 1:29 AM