O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

2.4.03  

Mais cedo ou mais tarde na vida há que se esbarrar em certas coisas; por vezes em coisas que vivem dentro da gente, por vezes em coisas que estão por aí, no mundo. Acontece até de se esbarrar em tudo ao mesmo tempo. Quando é assim é duro... De qualquer forma, aprendi a aceitar chocar-me com a vida pois – acho que foi ainda cedo – entendi que aquilo com o que mais colidiria seria eu mesmo. Essa inclusive é a pior colisão, a do que projetamos pra nós com aquilo que somos. Mas agora aprendi algo realmente inusitado: eu sempre imaginei que se temos que seguir adiante na nossa própria história, se nossa condição humana nos impõe isso, seria natural ir de encontro aos obstáculos; o que eu não sabia é que, mesmo que fiquemos paradinhos e tentemos apenas aguardar, nos fortalecer antes de correr pra enfiar a cabeça no muro, mesmo assim, as coisas vêm esbarrar em nós. O muro também corre pra explodir contra nossa cabeça, despedaçar a si ou a nós no impacto, CRASH! , e que sobreviva o que puder restar inteiro... Ao que parece, a julgar pela direção de cada movimento, a vida avança contra o homem e o homem avança contra vida, tentando chegar o mais longe possível antes de – e isso é impreterível – se esfarelar...



E não dá pra se esquivar.


posted by franciscoslade 2:44 AM