O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

22.8.03  

AHAM!



Pois é. Assim mesmo. Eu olho pra ele, ele olha pra mim; mas ninguém tem nada pra dizer pro outro. Aliás, até tem, muita coisa, mas nada objetivo, nada ali, que não se tenha que procurar. Muito. [Na sua casa tem muitos brinquedos; algumas vezes você acorda e eles tão todos lá e tudo que você tem que fazer é brincar com eles, inventar o que te der na telha; noutras, eles somem e não há o que te faça achá-los.] Mas pra achar alguma coisa tem que se estar num estado melhor. Continuo olhando pra ele e tenho a impressão de que, nesse jogo de quem sustenta mais o olhar, ele me vence. Nem deveria ser uma novidade, uma vez nunca fui particularmente bom nisso - antes o contrário -, no entanto, perder pra minha criatura? Essa tem sido minha relação com o seudinheiro ultimamente. Esforço. Tô envelhecendo rápido. Outro dia me falaram que eu supervalorizo minha situação; mas, porra, é quando ficamos em casa que as forças nos voltam. Quando ficamos sozinhos. Mas eu, quando volto pra casa, não recupero nada. Ficar sozinho numa casa que não é sua quase não é ficar sozinho. E o pior é que devo tanto dinheiro que não consigo parar de pensar nisso. Ando com o cenho franzido por aí. Tenso. [Tô envelhecendo rápido.] E o pior é que a culpa ñem é minha, pra eu me resignar e me chamar de babaca, encher a cara e depois acordar tranqüilo; não, eu me esforcei. Mesmo assim, nada. Não tô acostumado a isso; toda vez que eu perdi na vida tinha sido por falta de esmero. Agora parece que, nesse escuro em que o Homem passa seus dias tateando, esbarrei numa coisa que pode ser um muro. [Mais cedo ou mais tarde na vida há que se esbarrar em certas coisas] E eu não sou muito de cabeçadas.



Preciso de foco.


posted by franciscoslade 3:19 AM