O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

20.9.03  

CADA PENA ME PESA UMA TONELADA



Ali o Daniel. E aí amigão, beleza? Chegou há muito tempo? Peraí que eu vou dar a volta. Caramba, o cara só tá com mulher na mesa. Onde será que entra? Ah. Que boteco estranho. Licença. A namorada: Oi. Cês não vão entrar na sessão? É? Então vâmo; vou até puxar mais uma. Já volto. É, rapaz... Muito bem. Com licença, vê uma cerveja, por favor! Skol. Ah, e qual que tá gelada? Melhor ainda; eu até prefiro Bohemia. Dá pra levar na mesa? É aquela primeira ali, grande. Obrigado. Ih, outro cara. Devia tá no banheiro. Putz, não tem mais cadeira. Aí, Dani, onde cê descolou cadeira? Saquei... Então eu fico em pé mesmo. Putz, odeio quando me apresentam desse jeito... Oi! Oi!, Oi!, Beleza!... Nossa. Caralho, ela é linda. Não é possível que ela tenha me olhado assim:. Ah, olha ali uma cadeira de bobeira. Mas e aí, Dani, muito trabalho? É, tá foda. Mas é bom que gente fica mais nobre... Então. Ela parece a Helena. O bom desse bar é que dá pra ver as pessoas chegando pra sessão. Mó galera da faculdade. Ali o Alex.



– Olha aquele ali, que ridículo! Feio!



Como assim?



– Ah, Marília, você é sinistra; já tá falando mal de todo mundo que passa de novo.

– Não tô falando mal: só tô dizendo que é 'muderno'.

– Então, tá zoando.

– Ah, mas não é?, olha esse outro: que estranho. AHAHAHAHAHA!

– AHAHAHAHAHAHAHA!



Incrível. Existe. Só porque são todos de óculos. Todos fora do padrão. Já ela, eles, :. Olha só. Que escrota. Não acredito. Só porque é bonita. Olha a boca dela:. Aí, Dani, eu vô no banheiro; cê sabe onde é? Vou perguntar no balcão. Cacete, que mulher escrota. Oi, amigo, onde é o banheiro? Fora aonde? Ah, tá... Incrível; só que o Alex é o meu professor de fotografia; o maluco é bom. Ela é o que? Como é que ela fala assim?... Oi? Fala, Alex. Tranqüilo? Eu tô. Qual, aquela que tá sentada lá na minha mesa? De azul? É amiga da namorada do meu amigo. Maravilhosa, né? Pois é, mas é pessoa mais escrota em cinco minutos que já vi na vida. Não, cê acredita que ela fica escrotizando todo mundo que passa pra ir na sessão? Incrível! Ah, ficô, é? Cara, eu também achei que ela ficô me olhando quando eu cheguei. Não, acho que ela não te zoou não. Bom, pelo menos, quando cê passou, eu não ouvi ela falar; acho que ela tava falando com aquele outro maluco de camisa amarela na mesa. Na frente dela. Que parada escrota, né? Bizarro! Acho que deve ser por isso que ela tava olhando pra gente. É, cara. É... Eu também acho. Vou te falar que eu nem acreditava que existia gente assim. Parece filme adolescente americano. Existe... Bom, vou ao banheiro. Falô. Depois eu volto...



Porra nenhuma. Ah, quer saber? Vou pra casa.



Eu chegando. Olha ali, que ridículo. Deve ter sido isso. Só pode ser.



Ali um Taxi.



posted by franciscoslade 4:12 AM