O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

9.4.04  

PROSA RETA







Eu sempre evito falar do que me acontece.

Às vezes por que acho que não sinto nada, outras por achar que sinto demais.

Não sei. Ainda não consegui descobrir.

Mas é sempre na medida errada, disso tenho certeza.

Tenho certeza de que se uma pessoa dominasse tão mal a intensidade de seus movimentos, seria caso de fisioterapia intensa, um aleijado.

E que tipo de tramento se aplica a esse caso específico?

Sim, porque não se trata de porquê nem de quê.

(Nessas circunstâncias, uma análise seria indicada – de novo, porque eu já fiz bastante.)

Será o caso de acordar cedo?

Comer em intervalos regulares?

Já sei, disciplina com as atividades físicas, deve ser isso.

Quem sabe tudo ao mesmo tempo.

Dormir oito horas por dia, sempre no escuro.

Equilibrar a alimentação.

Deve ser.

Aí eu vou poder sentir sempre o correto.

Não mais, não menos que isso.



[Ah, mas não se engane: continua sem ser sobre o que me acontece.]



posted by franciscoslade 3:27 AM