O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

15.5.04  

O DROMEDÁRIO



O coração não se acalma.

Nem pode;

é uma bomba, afinal.



Há coisas que eu preciso dizer

sobre mim,

que eu preciso

que você saiba.

Mas é bom que você não tenha perguntado.

Assim não é necessário mentir.



Um pesar, surdo,

por todos os meus caminhos.

Bombeia, afinal



E talvez pelos de outros –

aqueles a quem

desejo levar alento

que não posso

pretender

e que, se me viesse,

encontraria,

quebrando em espuma

e intenção,

portas fechadas.

Uma bomba, afinal.



Talvez haja muito

que pareça se esconder,

escuro,

atrás dos pequenos rasgos

baços;

Mas não.

Nada.

Por baixo das minhas palavras

sou só silêncio.

Um sincero e retumbante

silêncio.

Ou um som cavo

que ora cala

como bomba, afinal.



Besteira.

Daqui, não espere.

Nada,

os homens se despedaçam em marcha.

Com a marcha.

O mundo anda, afinal.



posted by franciscoslade 4:58 AM