O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

15.8.04  

INFLUÊNCIA



Não, minha senhora, tire suas crianças de perto de mim! Tire, pois que eu posso contaminá-las, você não vê?, com a fome. E que fome é essa que me verga o ser, a consciência? que exige pra si toda disciplina, uma nova e única, como um deus atormentado e sequioso de adoração? E que olhos tão translúcidos, que olhos mais famintos; são meus esses olhos que me assutam no reflexo? É como a peste, a fome dessas pupilas escuras, dando a quem não pediu e nem precisa, sem que se possa negar, um arroto azedo de vazio, um vazio multiplicado em desejo, salivando, salivando, salivando. A baba mal-cheirosa dessa volúpia escorre incontestada da necessidade torpe de um espírito ainda mais escuro. A fome é o animal mais voraz, mais perfeito, convertendo à sua religião – o tempo – tudo. Eu sou apenas um feroz acometido, a língua áspera e exacerbada, as mãos nervosas; um pastor dessa vontade que há muito não é minha. Contudo, não há mais alimento que encante meu desejo, não há mais objeto; só o sentimento da fome, tanto, que me perco. E ainda que eu soubesse com o que aplacar o ídolo maldito, com o que molhar sua carne vil, meu corpo já não poderia; a bolsa de couro está murcha; meu ventre seco, fruto desidratado, não pode mais conhecer o alento da saciedade, esse estado tão provisório e mais ainda improvável de que o demônio da fome se utiliza com vaidade sem, no entanto, pretender alcançar.



Não tem rosto. Não tem idade, esse espectro, só olhos e promessas. E o hálito negro e contagioso.



Há que temer seus convertidos.


posted by franciscoslade 2:07 AM