O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

8.9.04  

É.



Tristeza não é um sentimento. É um ponto de vista. Melhor, uma lente.

A tristeza não é, aliás, tão triste; triste é ser triste.

Muitas vezes acho que é isso que não cabe; isso que o dia não comporta; que não encaixa.

Ou talvez o mundo é que não caiba aí. Pouco material pra ilustrar o homem?

Talvez. Às vezes me parece que o homem é maior desse lado de cá do olho.

Mas é dificil julgar. Meus olhos nunca trabalharam corretamente. E tem a lente.



Preciso de uma ponte de safena nas minhas palavras, minhas vias de comunicação estão entupidas.

Cada vez mais barulho aqui. E mais silêncio.

Outra coisa que aprendi é que silêncio nesce justamente do barulho.

Que não entra.

E também do que nunca soube sair. Porque o ruído muito escutado, o som de superfície espelhada, desaparece.

A capacidade humana de adaptação me surpreeende a cada dia; realmente, um som sem começo nem fim deve ser desesperador. É preciso não escutar. Esquecer. Envelhecer. Condescender.



Biologia tempo silêncio.



Há dias ouço e persigo – sou perseguido – por um som que eu não sei se é um mosquito que não vejo, excesso de trabalho, ou loucura. Há dias não ouço um som que eu não sei se.



Mas vez por outra soco o ar à minha volta só pra garantir.



O motorista do taxi me leva pela madrugada. Não pára de falar. Vejo sua boca se mexendo e não escuto nada. Talvez isso não me incomodasse tanto se eu pudesse ouvir o que ele diz. Pára! Não posso; será troça? Será que ele não fala nada? Será que ele fala nada? Ou sou eu que não escuto. Que só escuto.



Ou que imagino.



Não compreendo a diferença.

Mas soco o ar só pra garantir.


posted by franciscoslade 3:41 AM