O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

24.11.04  

É TUDO LIXO.



Gosto e me divirto. Mas me confundo – o que me parece ser meu principal ofício nesse mundo. Ao menos meu maior talento. Nem reclamo; como eu disse, gosto. É. Mas... Próprio ao ato de se confundir é questionar. Com isso: erro? Talvez. Sou muito curioso pra acertar, imagino. Deixa. Que seja. Hoje concluí até que tenho uma grande atração por precipícios. Tenho. Olho fundo e não me dói. Não mais que o usual. Até porque preciso devolver isso a ele: não é só quando espelho que ele me observa. Mas não queria arrastar ninguém comigo – não quero ser eu a ensinar a quem eu gosto que há precipício depois de precipício depois de precipício. Será essa outra função que me cabe? E não basta, me confundir com tanta eloqüência?

Pensei – penso (e sempre) – em jogar fora, perder no sono. Já que. Mas é sempre personagem. E, tanto quanto lixo, tudo sempre ficção.

Tem até quem chame de mentira, acho.

Que me confundi.



posted by franciscoslade 4:49 PM