O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

16.12.04  

CURVA



Brusca.



Os nomes passam. Você olha confuso os registros da sua história.

Tudo catalogado em nomes e então em séries.

Desenvolvimento rápido, marcado.

Metódico e

suicida.



Cada começomeioefim –

os elaborados, os simples –

leva carne sua

no ventre estriado,

translúcido.



Quem mandou olhar?



Se descolam uns dos outros

estalando violência rebentada

e definhando rápido. A flor no filme que você viu.

Feia.



Todo talho aberto

– você quase pode ouvir os outros, os que vão se abrir –

tem uma voz,

uma pergunta

e termina numa ferida, um

rasgo.

De pétalas feias.



Recolhe cada um

desses fetos ressequidos

que você deixou

ao sol

do caminho.



E não esquece, toma uma frase emprestada

sempre que partir.



Pra onde estamos indo?

Sempre pra casa.


posted by franciscoslade 3:02 AM