O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

22.12.04  

PAROLES, PAROLES, PAROLES...



Um dos meus piores defeitos é gostar das palavras. E não é de forma alguma um prazer, entende. É um diabo dum troço estúpido de gostar. Na, verdade, deve ser o pior, o mais equivocado de todos os troços que se pode gostar. Não é um instrumento temperado, sabe? Difícil acertar o acerto delas elas, nunca consensual. Coisa mais mole, mais inconstante. Aposta burra? Deve ser. Ando às voltas com um grande problema com escrever. Não acho solução: como são feias as palavras lidas em voz alta. As minhas, claro. As de tanta gente. Inferno, se não posso fazer algo que seja belo quando lido em voz alta, prefiro escrever algo que somente quando lido em silêncio tem sentido e beleza. Que não possa ser lido pros outros, so pra si. Como se parecem todas elas nas nossas pobres bocas normais quando aquilo que foi escrito vira som.


posted by franciscoslade 1:48 AM