O cara que escreve aqui se chama Francisco Slade. Um cara aí. Se quiser falar com ele, é só clicar no nome. E, sim, Slade é nome mesmo.









Livros publicados

Esse é meu primeiro romance, Domingo.




Também tô na antologia Paralelos:

0




Para ler também

A menina no deserto
Recheio de quê?
Malandro é o gato
Prosa Caotica
Wry
Pariscope Blues
Encefalopsia
Suum cuique
moca
Verborrágica
bináriogeral
ainda ela
Natureza complicada
mundoestranho
Paralelos


Arquivos




This page is powered by Blogger.

















Seu dinheiro de volta!

5.11.05  

OMBROS

Que será isso
que conhece a fome de cada homem?

Talvez o ódio,
esse animal de pés acolchoados
e de pisar macio
e de dorso de bronze.

Talvez.

Ou talvez a certeza do erro.

Mas e que vontade é essa
de chorar?

Que voz mais acanhada?

Hoje resolvi sair sem óculos;
pra ver se não precisava mais deles.

Se via melhor o que geralmente
não entendo.

Choveu. E eu fiquei achando melhor mesmo não ter lentes pra molhar.
Nem por um lado nem pelo outro.
E quem sabe assim, se eu ceder – não podemos! –,
ninguém repara.

Preciso manter quieta
essa boca-pra-nenhum-ouvido;
mais e mais, mais e mais,

pra que nada escape

– pois nada há que.

Acabou que calei e enxerguei de menos.
Na vida.

Que bicho é esse
que me sabe
e me apodrece por dentro?


posted by franciscoslade 3:23 AM